24 de ago de 2015

Flávio Dino autoriza início da construção da Estrada do Peixe Em Itans na Baixada Maranhense

“Essa estrada é um sonho de muitos que lutaram, mas não puderam ver. Hoje presenciamos o sonho de gerações. São mais de sete mil pessoas de 13 povoados sendo diretamente beneficiados com esta obra”, disse Elizeu Silva, presidente da Associação de Psicicultores de Itans, povoado de Matinha. No sábado (22), o governador Flávio Dino anunciou R$ 15,5 milhões para Itans que serão destinados à pavimentação da Estrada do Peixe e a construção de uma fábrica de gelo que irão facilitar o escoamento e aumentar a produção de peixe de um dos principais municípios da Baixada Maranhense.

Os lagos e açudes de Itans eram utilizados para plantar arroz, milho, mandioca, em produções familiares que chegavam a R$ 70 por mês. Há 6 anos, com a chegada da assistência técnica, o município descobriu o potencial regional da piscicultura. O povoado produz anualmente 1.776 toneladas de peixe, gerando uma receita líquida anual de mais de R$ 4 milhões, o que contribui para que o PIB de Matinha seja considerado um dos maiores da Baixada Maranhense.

O Governo do Estado investe em ações que priorizam o potencial da cadeia produtiva. Flávio Dino acredita que o desenvolvimento do Maranhão começa com a assistência técnica que chega aos pequenos e médios produtores da Agricultura Familiar. “Estamos lutando para que atividades como essas cresçam para que a economia maranhense possa se consolidar. Os moradores de Itans aguardavam há décadas essa estrada e hoje nós estamos felizes por realizar este sonho que trará muitos benefícios à comunidade e a todo o Maranhão”, disse o governador Flávio Dino. 

A produção de peixes em Itans é comercializada em São Luís, Teresina, Imperatriz e outros municípios do Maranhão. A construção da estrada de 16 km, autorizada pelo governador Flávio Dino, liga o povoado à cidade de Matinha, assegura melhorias no transporte da população e aumenta o potencial da comercialização dos peixes. “No período de chuva a estrada de terra alaga, os carros ficam presos e os produtores prejudicados com a dificuldade no trajeto. A nova estrada assegura o direito de ir e vir com dignidade para esta comunidade, aumentando a produção e a economia em toda a região”, disse o secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto.

Assistência Técnica

O conhecimento sobre o manejo ideal das rações, a pesagem dos peixes, o período adequado para a pesca chegou ao povoado através da atuação do Sebrae e Banco do Brasil, em parceria com o Governo do Estado, através da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária (Agerp). “Estamos imersos nesta comunidade, ensinando os produtores as técnicas de pesca, de manejo e comercialização. A construção desta estrada potencializa a produção e a economia do Maranhão”, disse João Martins, diretor do Sebrae.

Natural de Itans, Rui Ferreira morou em São Luís e há seis anos retornou ao povoado ao perceber o potencial pesqueiro da região. O piscicultor afirma que a produção familiar permite que ele consiga conciliar melhor a tríade: trabalho, família e melhores condições de vida. Rui produz semestralmente 30 toneladas de peixe, o que chega à média de R$ 140 mil reais por ano. A atividade atrai jovens como Élita Silva, que com 23 anos cria peixes em uma propriedade familiar. A produtora afirma que com a chegada da assistência técnica e das consultorias especializadas, as condições de vida ficaram ainda melhores em Itans.

A garantia do escoamento da produção é uma das metas do governador Flávio Dino para o desenvolvimento da Agricultura Familiar nos municípios do Maranhão. “Produtividade e escoamento precisam andar juntos. A estrada antiga inviabilizava a comercialização em sua totalidade. A construção da Estrada do Peixe aumentará a produtividade, a renda e valorizará ainda mais a região”, afirmou Adelmo Soares, secretário de Estado da Agricultura Familiar.

Participaram da solenidade, deputados estaduais, secretários estaduais e municipais, prefeitos, vereadores, lideranças da Baixada Maranhense, produtores, técnicos e representantes do Sebrae, Agerp e Banco do Brasil.

O que você achou?

0 COMENTÁRIO:

Postar um comentário