30 de abr de 2015

ORGANIZAÇÕES DISCUTEM CRIAÇÃO DO FÓRUM DE POLÍTICAS PÚBLICAS DE SÃO JOÃO BATISTA

Diversas organizações da Sociedade se reuniram na ultima sexta-feira e sábado, 24 e 25, para discutir a criação do Fórum de Políticas Públicas de São João Batista. A discussão aconteceu durante a capacitação para membros de todos os Conselhos Comunitários da cidade, na Câmara de Vereadores. O evento foi organizado pelo Fernando Junior, assessor de Políticas Públicas da Igreja Católica.
A capacitação foi dada pelos representantes do Fórum de Políticas Públicas do município de Buriticupu, Alaide Abreu e Ivonete Matos, conselheiro tutelar e assistente social daquela cidade, respectivamente. Na abertura do evento, teve a presença do padre Valmir Figueiredo, que abençoou o evento e disse que ficou feliz em ver as comunidades e organizações fazendo parte da mudança dessa cidade. O encontro serviu para conselheiros fizessem um perfil da cidade e saber seus direitos e deveres enquanto fiscalizadores.
Estavam presentes representantes de diversos seguimentos da Sociedade Civil como Fórum da Juventude, Conselho Tutelar, Igrejas, Conselhos Comunitários, Câmara de Vereadores, Secretarias Municipais, Associações de Moradores, Movimento dos Terreiros de Umbanda, Quilombolas e representantes de outros municípios. Ao final do encontro, foi discutida a proposta de criação do Fórum de Políticas Públicas de São João Batista, que foi aprovada pelos participantes.
“O Fórum de Políticas Públicas de São João Batista deve ser uma organização representativa das entidades civis organizadas deste município, autônomo, apartidário, independente, desvinculado do Poder Público e sem fins lucrativos com duração indeterminada que tem como objetivo trabalhar a implementação de Políticas Públicas e controle social na Lei 9840/99 e zelar pelos direitos dos cidadãos e cidadãs de São João Batista”, disse Alaide, um dos capacitadores. No final do evento, uma comissão foi escolhida para fazer parte da organização dos primeiros trabalhos do fórum.
Folha de SJB

28 de abr de 2015

INSCRIÇÕES GRATUITAS PARA TRÊS CURSOS EM SÃO JOÃO BATISTA TERMINAM NESTA QUARTA

Apresentação teatral do Fórum da Juventude, um dos cursos que serão oferecidos
Terminam na próxima quarta-feira, 29 de abril, as inscrições para três cursos profissionalizantes oferecidos pelo Fórum da Juventude de São João Batista. Os interessados, que devem ter idade entre 14 e 30 anos, devem procurar a sede da instituição, ao lado da Igreja Católica, e fazer gratuitamente, sua inscrição para garantir sua vaga em um dos cursos.
Os cursos fazem parte da primeira etapa do Programa de Formação de São João Batista e vai oferecer vagas nas áreas de Comunicação Educativa, Teatro e Esporte e Lazer. Eles terão duração de seis meses e serão ministrados, aos finais de semanas, por profissionais do Fórum da Juventude da nossa cidade e de outros municípios. As inscrições e os certificados serão de graça.

19 de abr de 2015

JOANINO MESTRE APOLÔNIO SAI DO HOSPITAL E PASSA BEM

Apolônio Melônio, o Mestre do Bumba-boi do bairro da Floresta, em São Luís, saiu do hospital na manhã deste sábado (18 de abril). Ele passou 15 dias internado no Socorrão II, na Cidade Operária, após a fratura do fêmur direito, em acidente doméstico, dentro de casa. A companheira dele, Nadir Olga Cruz, informou que o veterano Mestre do Bumba Boi, que tem 96 anos de idade, passa bem. Apolônio nasceu no dia 23 de julho de 1918, no povoado Canarana, município de São João Batista.
Natural de São João Batista, Mestre Apolônio
Filho de Claudina e Lourenço Justino, desde menino apaixonou-se pelo bumba-meu-boi. Começou a trabalhar com 12 anos, plantando roça e produzindo farinha. Seu primeiro contato com a brincadeira deu-se em sua terra: Antônio Faustino, por promessa, “botou boi”, mandando buscar na cidade de Matinha o cantador Genésio. Não demorou muito, fundou o Ramalhete, grupo composto com outros meninos como ele.
Chegou em São Luís em 139. Trabalhou na Prefeitura, em varias “quintas” de verduras, como ajudante de pedreiro e admitido na Estiva Marítima, foi estivador, chefe de turma e capataz, aposentando-se em 1972. Seu primeiro grupo de bumba-meu-boi em São Luís foi o que ele próprio comandou, a convite de Chico Canguçu, e reunia o pessoal de município de Viana: Lourencinho, Otacílio, Zé Morais, Baixinho, Isaías, Jerônimo, Sabino, Satiro, Diomar, Luís Pinto e outros mais.
Em seguida, junto com o irmão Antônio, no bairro da Floresta, fundou o bumba-meu-boi Turma de São João Batista, que lidera até hoje. Na década de 80, criou o Tambor de Crioula Prazer de São Benedito. Os dois grupos já se apresentaram em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Maceió, Teresina e no Festival Mundial de Teatro de marionetes, em Chalerville-Mezières, na França.
Folha de SJB

14 de abr de 2015

CONSELHO DE JUVENTUDE PASSA POR CAPACITAÇÃO EM SÃO JOÃO BATISTA

Prefeito Amarildo e o pres. do Comjuv, Jailson Mendes
O Conselho de Juventude de São João Batista passou pela sua primeira capacitação. O conselho é formado por diversas organizações da Sociedade Civil e do Poder Público Municipal, entre elas o Fórum da Juventude, Casa da Cultura, Grêmios Estudantis, Tambor de Crioula, Companhias de Teatro, Grupos de Jovens das Igrejas Evangélicas e Católicas, Sindicatos Rurais, Grupos de Capoeiras, Representação de Comunidades de Matrizes Africanas e Quilombolas, Secretarias Municipais e Poder Legislativo.
O evento foi realizado na sede da Câmara de Vereadores e contou com a participação do prefeito da cidade, Amarildo Pinheiro, na abertura. Com realização da Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria Municipal de Juventude e Cultura, a formação foi dada pela PH Consultoria, com apoio do Fórum da Juventude e da Federação das Ongs do Maranhão, representada pelas assessoras Anne Priscila e Ana Célia.
Durante dois dias, 10 e 11 de abril, os 32 conselheiros municipais de juventude de São João Batista foram capacitados e estão aptos agora a dá prosseguimento nas atividades do Conselho de Juventude. A abertura contou com as falas do prefeito Amarildo e do presidente do Comjuv, Jailson Mendes. Durante sua fala, o gestor da cidade falou sobre a importância da juventude e sobre o processo de construção da Política Municipal de Juventude. “Estamos dando todas as condições possíveis para a nossa juventude e ela tem correspondido aos investimentos deste governo na área. Por isso não estamos medindo esforços para que os nossos jovens sejam realmente o grande avanço de nossa administração”, disse o prefeito.
Na mesma linha seguiu o presidente do Comjuv, Jailson Mendes. Para ele, os conselheiros a partir desta capacitação terão um instrumento a mais nos avanços conquistados nessa administração para a juventude e destacou as parcerias entre o Fórum da Juventude, do qual é representante dentro do conselho, e da Secretaria Municipal de Juventude e Cultura, representado pelo jovem Fernando Santos. “Acredito que a partir desta capacitação os nossos conselheiros seguirão firmes na proposição e fiscalização da política de juventude em São João Batista”, finalizou.
Temas como o Estatuto da Juventude, papel dos conselheiros e a primeira Conferência Municipal de Juventude foram os destaques da capacitação. A assessora Anne Priscila, da Feong e PH Consultoria, deu dicas de como deve ser o papel dos conselheiros e já preparou os membros para a realização da conferência, que deve acontecer em nossa cidade durante o mês de agosto. Ao final da capacitação todos os conselheiros pousaram para a foto oficial.
Folha de SJB

1 de abr de 2015

A BAIXADA MARANHENSE E A SUA VOCAÇÃO PARA A GRANDEZA

Por Natalino Salgado
Natalino Salgado
“Esse horizonte usa um tom de paz”, disse Manoel de Barros, em sua obra “O livro das ignorãças”, ao discorrer poeticamente sobre os fins de tarde no Pantanal. Tomo emprestadas as palavras do poeta para também falar sobre o entardecer da minha sempiterna Cururupu, cenário de tantas boas lembranças de minha infância, e sobre a paisagem da Baixada Maranhense, que não me sai da memória.
Trago à baila esse assunto porque estive em Pinheiro, no início da semana passada, participando da cerimônia de instalação da primeira turma de licenciatura em Educação Física da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), no Campus instalado naquela cidade, evento este concorridíssimo e que contou com a presença de autoridades municipais, técnicos administrativos, professores e alunos. Àquela ocasião, quarenta estudantes deram o primeiro passo rumo ao tão sonhado diploma de Educação Física. Além da motivação dos estudantes, o curso também inicia com um excelente corpo docente, de vasta experiência profissional. É nossa intenção, com a aprovação do conselho universitário, transformar o Campus de Pinheiro no terceiro centro de ensino dessa Instituição no continente.
A cada ida àquela região, volto com o ânimo renovado por constatar a vontade e a determinação de seus habitantes para o desenvolvimento. Nesse contexto, além das anteriormente referidas, outras iniciativas dignas de elogio estão sendo realizadas, a exemplo do recém-instalado Fórum da Baixada Maranhense. Aqui destaco o papel do advogado Flávio Braga, um dos principais defensores desse projeto.
A Baixada Maranhense compreende 21 municípios, que se distribuem em quase dezoito mil quilômetros quadrados na região noroeste do Estado. Com uma população de mais de 518 mil habitantes (dados de 2006), tem sua economia ancorada no extrativismo, agricultura de subsistência, pesca e pecuária cuja expressão principal é a bubalinocultura, visto que estes animais se adaptam perfeitamente às condições de grande parte da região, caracterizada por campos inundáveis.
Mas, infelizmente, a economia baseada na exploração de atividades do campo e com escassa aplicação de tecnologia resulta em baixos índices de produtividade e coopera para manter o quadro de pobreza geral, que se expressaem insatisfatórios índices de progresso. Como exemplo disso, temos a cidade de Pinheiro, a principal da microrregião, que exemplifica com bastante acuidade a condição que se perpetua ao longo de décadas. Nessa cidade, o IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal), que avalia a qualidade de vida, como a longevidade, renda e educação da população, é de apenas 0,637, o que representa um crescimento médio. Sobre isso, a dinâmica é a seguinte: quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento. Registre-se que outras cidades do entorno possuem dados semelhantes. O quadro só não é mais desolador por causa do comprometimento de alguns poucos governantes da região que se esforçam para debelar os inúmeros problemas e desafios hercúleos, embalados pela determinação de um povo honesto, cordato e trabalhador.
No entanto, nem tudo é desanimador, pois há na região uma rica diversidade da fauna e flora e o maior conjunto de bacias lacustres do Nordeste. A transição entre o cerrado e a floresta amazônica criou um lugar único de campos dominados pelas águas, particularmente no período chuvoso, que transforma a região com seus rios e lagos num pantanal tão grandioso e exuberante quanto o equivalente mais famoso no Mato Grosso. Aquele cenário que não deixa a desejar a nenhum cartão postal do mundo. Volto a Manoel de Barros, no mesmo livro já citado, ao falar de seu pantanal, de forma modesta: “o mundo meu é pequeno, Senhor. Tem um rio e um pouco de árvores”.
A Baixada Maranhense tem vocação natural para a grandeza. Por isso mesmo, engajada no desafio de tornar essa região ainda melhor e mais próspera, a Universidade Federal do Maranhão (já tivemos a oportunidade de escrever sobre isso noutro momento) faz sua parte: iniciou o que considero um novo ciclo de crescimento. O campus de Pinheiro, que antes funcionava com os cursos interdisciplinares em ciências humanas (com habilitação em História ou Filosofia) e naturais (com habilitação em Biologia), conta hoje com os de Medicina e Enfermagem e, mais recentemente, com o curso de Educação Física, que teve sua aula inaugural no dia 16 (segunda-feira). Essas três últimas graduações atenderão a uma demanda crescente de saúde de qualidade, o que propiciará um efeito catalisador à formação dos profissionais e à produção de conhecimento. E, ainda este ano, no segundo semestre, teremos a honra de iniciar o curso de Engenharia de Pesca em Cururupu, cidade cuja economia está intimamente ligada à pesca marítima.
“Deus governa grandezas”, diz Guimarães Rosa pela boca de Riobaldo em “Grande sertão veredas”. O potencial da Baixada Maranhense, somado à fé e à coragem de seu povo, haverá de legar às próximas gerações uma herança de grandes conquistas, pois as esperanças mais incompatíveis podem conviver sem dificuldades, alerta Jorge Luís Borges. Que essas ações em favor daquela região encontrem corações maduros para que as sementes do crescimento e da prosperidade possam gerar bons frutos.
Natalino Salgado, doutor em Nefrologia, reitor da UFMA, membro do IHGM, da ACM, AMC e AML.
Folha de SJB