30 de jan de 2014

MORADORES DO CENTRO DE SÃO JOÃO BATISTA ESTÃO A SEIS DIAS SEM ÁGUA

Os moradores do centro de São João Batista estão a pelo menos seis dias sem água e a Companhia de Água e Esgoto do Maranhão (Caema) não resolveu o problema até o fechamento desta matéria. 

De acordo com as informações passadas pelos próprio moradores ao Blog da Agência de SJB, a empresa ainda não deu nenhuma resposta aos consumidores.

Um problema na bomba teria ocasionado a falta de água nas casas. Várias reclamações já foram feitas ao Ministério Público, mas em São João Batista a Caema continua a desrespeitar os moradores que reclamam, pois já estão a seis dias sem o líquido.

Um caminhão-pipa da Prefeitura Municipal está levando água para a população. Até agora a Caema não pronunciou publicamente sobre o que teria causado esta falta de água em São João Batista.

28 de jan de 2014

SAI AS PRIMEIRAS INFORMAÇÕES DO CARNAVAL 2014 EM SÃO JOÃO BATISTA

O Carnaval 2014 na Praça de Eventos promete repeti o mesmo sucesso do ano passado em São João Batista. Segundo informações passadas para o Portal Folha de SJB, o prefeito esta fazendo contato com as melhores bandas de São Luis para embalar os foliões nos 4 dias momescos.
Já sobre as bandas que devem vim para São João Batista, a fonte informou que já estão sendo licitadas e que ainda não foi divulgada nenhuma informação sobre esse assunto. Logo a praça de eventos será mais uma vez palco de grande alegria e descontratação.
O Portal Folha de SJB, desde já e em nome desta festa, convida todos conterrâneos e simpatizantes de todo o estado para viver a alegria do melhor carnaval desta região.Fala-se que algumas delas já teriam tocado aqui em São João Batista em 2013. As reuniões com os blocos tradicionais e barraqueiros, bem como  com a segurança privada, já estão em fase adiantada e provavelmente a ornamentação começará a ser feita nos próximos dias do mês de fevereiro.

27 de jan de 2014

ATIVIDADES DO 'MAIS EDUCAÇÃO' NÃO PARAM NOS POVOADOS DE SÃO JOÃO BATISTA

As atividades do Projeto 'Mais Educação' continuam a todo vapor no município de São João Batista e não esfriaram nem no período das férias. Coordenado pela professora Héryca Figueiredo, da Secretaria Municipal de Educação, o projeto vendo sendo desenvolvido em diversos povoados, a exemplo dos povoados de Enseada dos Bezerros e São José.
O Portal Folha de SJB acompanhou esta semana as atividades nos povoados. Na Enseada dos Bezerros, acompanhamos as atividades que os monitores Valmir, Ascensão, Raimunda e Simone desenvolvem, com apoio da coordenadora Ligiane Diniz e do diretor da escola, Izidorio, as atividades de esportes com crianças e adolescentes.
Em conversa com o site, os alunos disseram que gostam muito das atividades e aproveitaram para pedir ao prefeito Amarildo Pinheiro a construção de um Ginásio Polioesportivo no povoado. Na localidade, as atividades foram acompanhadas também pelo vereador Chico de Nhozinho, que incentiva e torce por dias melhores para a aquela comunidade.
De lá, o site partiu para visitar as atividades para o povoado São José, onde as monitoras Cleideane Mendes e Maria estão dando aulas de reforço para os alunos da escola do povoado. As atividades foram acompanhadas pela diretora Jocione Ramos, que disse que está dando todo o apoio necessário para o desenvolvimento das atividades.
O Programa Mais Educação, instituído pela Portaria Interministerial nº 17/2007 e regulamentado pelo Decreto 7.083/10, constitui-se como estratégia do Ministério da Educação para induzir a ampliação da jornada escolar e a organização curricular na perspectiva da Educação Integral.
As escolas das redes públicas de ensino estaduais, municipais e do Distrito Federal fazem a adesão ao Programa e, de acordo com o projeto educativo em curso, optam por desenvolver atividades nos macrocampos de acompanhamento pedagógico; educação ambiental; esporte e lazer; direitos humanos em educação; cultura e artes; cultura digital; promoção da saúde; comunicação e uso de mídias; investigação no campo das ciências da natureza e educação econômica. Folha de SJB

26 de jan de 2014

IPI DE SÃO JOÃO BATISTA COMEMORA DOIS ANOS DE ORGANIZAÇÃO

A I Igreja Presbiteriana Independente do Brasil em São João Batista completará no próximo dia 28 de janeiro dois anos de organização, mas a comemoração foi realizada ontem, 25 de janeiro, na sede da instituição, no centro da cidade. Estiveram presentes no evento várias caravanas de municípios vizinhos como Matinha, Penalva e Viana, além de representantes de congregações e igrejas dos povoados.


Em culto presidido pelo reverendo Gildo Lopes, pastor da IPI de São João Batista, as comemorações começaram por volta das 19 horas e mesmo com a forte chuva, o povo de Deus se fez presente no evento que reuniu vários representantes das igrejas do Maranhão, como o pastor Gelson, de São Luis; Missionário João Batista, de Matinha; Ana Flávia, da Conorte; pastora Marly Lopes, das igrejas de Penalva e Viana; e vários presbíteros de outras igrejas.


Participação especial dos presbíteros de São João Batista, Luis Lílio, Célio Madeira, Alessandra Lima, Neto Pinheiro e Carlos Alberto e destaque para as apresentações dos Ministério de Louvor das cidades de Penalva e Matinha e do Ministério de Louvor ‘Primícias’, da nossa cidade. Centenas de pessoas comemoraram o aniversário da IPI, que tem dois de organização, mas tem mais de 40 anos de fundação.


HISTÓRIA

A igreja era filial da Matriz de Matinha e passou no ano de 2012 a ser órgão independente. A cerimônia foi realizada na sede da organização, em frente a Praça de Eventos. A igreja, antigamente era chamada de “Igrejinha dos Milagres”. De acordo com as informações passadas ao Portal Folha de SJB, a IPI em São João Batista já está na cidade a 40 anos e foi fundada pelo Major Marques Figueiredo.



Com centenas de membros, a primeira IPI de São João Batista tem seu próprio pastor, Gildo Lopes, e um Conselho de Presbitérios e Diáconos. Os presbitérios são Luis Lílio Saraiva, Raimundo Araújo Pinheiro Neto, Célio Marcio Santos Madeira e Alexandra Soraia Lima Câmara. Já os diáconos são Luandson dos Anjos Lindoso, Simone Pinto dos Anjos, Expedito de Jesus Pinheiro Castro e Kátia Luzia Cutrim Araújo.



A programação da IPI em São João Batista começa na quarta-feira, com o Culto da Vitória; no sábado tem o Culto dos Lares; e no domingo tem o Culto da Família. Depois de sua organização, em 2012, a igreja já passou por várias mudanças e se modernizou.

24 de jan de 2014

PESCADORES ESTÃO COM DIFICULDADES PARA CONSULTAR BENEFÍCIO DO SEGURO-DEFESO

Os pescadores do município de São João Batista estão tendo dificuldades em acessar o site do Ministério do Trabalho e Emprego para saber se o benefício do Seguro-Defeso já está disponível. Uma falha no siteGranulito está impedindo as consultas e os pescadores precisam enfrentar uma enorme fila na lotérica.
O Ministério do Trabalho e Emprego disponibiliza uma ferramenta na internet, onde os beneficiários precisam colocar apenas o número do NIS ou PIS, seguido de letras e números que o próprio sistema disponibiliza. E segundo os que fazem as consultas, é ai que está o problema e a falha impede a consulta.

Cerca de 3 a 4 mil pescadores estão aptos a receberem o Seguro-Defeso, que de acordo com os presidentes das Colônia e Sindicato dos Pescadores, poderiam está disponíveis a partir de hoje, 21 de janeiro. Em São João Batista a recepção dos beneficiários foi realizada no período de 13 a 17 deste mês.

Neste caso a único saída para os pescadores é procurar a Lotérica da Caixa Econômica Federal na cidade, que não faz pagamento do Seguro-Defeso e ainda por cima tem que esperar em filas quilométricas, principalmente quando é pagamento do Bolsa Família. Clique AQUI e saiba como consultar.

22 de jan de 2014

JORNALISTA VIRÁ À BAIXADA MARANHENSE INVESTIGAR DESTRUIÇÃO DE BÚFALOS

O polêmico Fernando Gabeira , jornalista, escritor e político, prometeu voltar ao Maranhão em breve para filmar a devastação causadas por búfalos que segundo ele, multiplicaram-se tanto que arrasaram a lavoura, e continuam aumentando. Como se sabe, o maior rebanho bubalino do estado se encontra na Baixada Ocidental Maranhense. Será que depois dos presídios infernais, os temíveis búfalos serão a bola da vez na destruição do estado? A conferir.

Abaixo o artigo de Gabeira. “Embora o declínio seja visível, a força de Sarney no Maranhão também o é”

Fui algumas vezes ao Maranhão. Não é, para mim, uma região distante que possa analisar racionalmente em laboratório. Gosto de lá e tenho apreensão por seu futuro. Os primeiros contatos que tive com o Maranhão foram estimulados pelo interesse por Alcântara, uma bela cidade, ligada a São Luís pela Baía de São Marcos. Alcântara são ruínas deixadas pelos ricos que a abandonaram, levando consigo maçanetas de porta, janelas, tudo o que puderam carregar.

Em Alcântara trabalhei na mediação entre os interesses das comunidades negras e indígenas e a base espacial, marcada por fracassos e até uma tragédia. Minha hipótese era de que, recuperando o casario colonial, harmonizando o interesse de quilombolas, indígenas e a própria base, seria possível construir um modelo em que várias épocas do Brasil convivessem no mesmo espaço. Isso ampliaria as possibilidades turísticas do Estado. Quase ninguém se animou com a ideia.

Mais tarde voltei ao Maranhão para cobrir as enchentes em Trizidela do Vale. E, finalmente, fiz um trabalho em Buriti Bravo sobre saúde, tendo de percorrer hospitais e postos em vários pontos da região, incluindo cidades médias, como Caxias. A visita da última semana a São Luís foi a segunda que fiz por causa dos conflitos no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Cabeças decapitadas, superlotação, luta interna na cúpula da Segurança, quase tudo do mesmo jeito. Quase tudo porque o governo, em vez de refletir sobre a ideia de manter metade dos presos de todo o Estado num só presídio, contratou uma empresa de segurança de aliados.

A governadora Roseana Sarney afirma que dizer que o Maranhão é dominado por uma família há 48 anos se trata de ignorância ou má-fé. Para mim, soa como afirmar que é ignorante quem acredita que a Terra gira em torno do Sol. O que os olhos me dizem em São Luís e outras cidades? Que a família Sarney é onipresente em nome de ruas, vilas, maternidades, escolas. O ponto máximo dessa ocupação simbólica é a transformação do Convento das Mercês numa espécie de museu José Sarney, mascarado sob a denominação Fundação da Memória Republicana Brasileira. Se vejo TV, ouço rádio, leio o jornal diário e pergunto quem são os donos, a resposta é sempre a mesma: a família Sarney.

Sarney ganhou uma dimensão nacional superior à importância política do Maranhão. Ele não só enriqueceu mais, mas também ocupou mais espaços no poder do que seu Estado natal ocuparia sem ele. Com a crise de Pedrinhas, o Maranhão ressurge no noticiário e é razoável examinar a trajetória de Sarney em relação ao Estado que domina há quase meio século. Quando foi eleito governador, em 1966 Sarney foi tema de um filme de Glauber Rocha. Fazia discursos inflamados, prometia acabar com a corrupção, com a impunidade, enfim, revolucionar um Estado paupérrimo. Hoje o Maranhão tem 12% de miseráveis, mais da metade da população não tem banheiros. Sarney tornou-se poderoso, os empreendimentos da família cresceram, mas tudo indica que agora essa relação dominadora pode ser derrubada.

Sarney e Roseana são aliados do PT. Certamente se inspiraram na forma de argumentar do governo federal para se defenderem na crise. Roseana afirmou que o Maranhão se tornou violento porque ficou mais rico. Quem não se lembra, em junho de 2013, dos argumentos de que a prosperidade era a causa das manifestações de rua? Mas ela errou o tom. Na mesma semana licitava lagostas e caviar para alimentar o Palácio dos Leões, como o próprio nome indica. Sarney também lançou mão da tática do governo federal: ressaltar um ou outro aspecto positivo e se fixar nele como tábua de salvação, como o ministro Aloizio Mercadante ao examinar o baixo resultado do Pisa ou o ministro Guido Mantega descrevendo criativamente os números da economia.
No Maranhão, disse ele, há conflitos nos presídios, mas não se espalham pelas ruas. E foi mais longe na tática de argumentação dos setores oficiais da esquerda: apontou para os problemas dos outros. Mencionou o Espírito Santo e Santa Catarina, onde houve conflitos de rua, até mesmo acabando com o carnaval capixaba. Horas depois, distritos policiais metralhados, ônibus incendiados, uma menina de 6 anos morta pelas chamas, em São Luís. Não estavam preparados para a crise precisamente porque todos esses anos de dominação criaram uma espécie de viseira, alimentada pela falta de uma imprensa independente mais forte, à altura do Maranhão.

Embora o declínio seja visível, a força de Sarney no Maranhão também o é. As eleições maranhenses podem ter dimensão nacional. O adversário mais bem colocado é o presidente da Embratur, Flávio Dino, do PC do B. Depois de 48 anos de dominação do clã, passar às mãos do PC do B não deixa de ser uma trajetória singular para um Estado com tanto potencial. Como o campo da política é mais pantanoso, não se sabe até que ponto virão mudanças. A sensação que tive em São Luís é de que, ao menos na capital, há um desejo de romper com o longo domínio. Com baixos índices sociais e alto nível de violência, os sobressaltos na sociedade são tão imprevisíveis quanto na política.

Devo voltar ao Maranhão para filmar os búfalos que importaram para desenvolver uma região do Estado. Os búfalos multiplicaram-se tanto que arrasaram a lavoura, e continuam aumentando. Quem sabe, correndo por fora, os búfalos não se tornem também protagonistas de destaque no Estado? Eles dão carne, leite e queijo, mas devastam tudo o que há ao redor. Isso me parece muito com o destino de um Estado que cresce, mas deixa um rastro de destruição, violência e miséria. Os poderosos estão felizes. Os búfalos, também.

José Sarney precisava ter acreditado nos seus discursos de 1966, quando se elegeu. Estão lá no filme do Glauber. Seguiu um caminho diferente. O filme agora é outro: poder, riqueza, glória e o mesmo povo pobre das imagens de Glauber. Com reprodução do Blog Vianensidades.


Folha de SJB

19 de jan de 2014

CLARO E OI DEBOCHAM DE USUÁRIOS EM SÃO JOÃO BATISTA

Como se não bastasse uma, agora são as duas operadoras que prestam serviços de Telefonia Móvel e Internet que deixam os usuários ‘na mão’ no município de São João Batista. Desde o começo da semana a internet das duas operadoras não funcionam e a telefonia móvel da Claro apresenta constantemente defeito, com isso, a população reclama do descaso.

A Operadora Claro deixou, desde segunda-feira, os usuários sem internet móvel, e a Operadora Oi está, a três dias, sem funcionar a internet ‘Oi Velox’, que é a mais usada por quase todos os joaninos que possuem internet em casa. Até agora nenhuma das operadoras se pronunciou e os usuários abriram reclamações na Anatel e no Ministério Público.

Há informação de que a Oi está fazendo mudanças na sua rede em São João Batista, enquanto a Claro deu um prazo para os usuários de 24 para resolver o problema, mas até agora nenhuma delas conseguiu normalizar o serviço. As reclamações são constantes e nínguem faz nada. Enquanto isso a população é a mais prejudica.

18 de jan de 2014

EMPRESÁRIA LANÇA LIVRO EM SÃO LUIS SOBRE INFÂNCIA VIVIDA EM SÃO JOÃO BATISTA

Algumas pessoas da cidade de São João Batista participaram ontem, 17 de janeiro, do Lançamento do Livro ‘Lamparinas e estrelas – Memórias de minha infância’, no Residencial Recepções, na capital do estado, São Luis. O livro é de autoria da empresária  Ana Régia Passos, que aos 49 anos realiza o seu sonho, que é de publicar seu primeiro livro externando o que de melhor a vida pôde lhe oferecer: as lembranças da infância vivida na cidade maranhense de São João Batista.
Ana Régia Passos / Foto: Herbeth Figueiredo
Por lá estiveram algumas pessoas da nossa cidade, como o fotógrafo Herbeth Figueiredo, o modelo William Figueiredo, Iracema Pinheiro,  a ex-candidata a vereadora Nilde Câmara e o ex-gerente do Banco do Brasil da nossa cidade, jurista Flávio Braga. Na ocasião, teve um show de MPB com o cantor Sócrates, uma apresentação de dança e a exibição de um curta sobre São João Batista, produzido por Ana em parceria com um amigo.
No livro, Ana Régia propõe uma viagem no tempo, povoando imaginários para uma época em que não existia luz elétrica e que se passava o tempo conversando e contando histórias sob a luz da lamparina a querosene, nas calçadas iluminadas sob o céu estrelado. “É por isso que se chama Lamparinas e estrelas. Somente quando já estava perto de sair da cidade, aos 15 anos, é que chegou energia elétrica, a seguir a televisão. Só tinha um aparelho e todos iam assistir à programação na casa que tinha a televisão, inclusive eu (risos). A autobiografia de Ana Régia, talvez seja a infância livre e feliz que muitos tiveram e desejariam que seus filhos, netos, tivessem.
“Falo das aventuras que a gente tinha, de entrar no mato para brincar, pegar frutas. Naquela época não havia a violência de hoje. Tínhamos medo de cobra ou outros animais, mas não de gente. Essa é uma coisa incapaz de ser fazer hoje em dia”, atesta Ana Régia. A amiga Deuzenir SzeKersh fala com orgulho da mulher que Ana Régia se tornou e da infância divertida que tiveram juntas. “Conhecemos-nos na infância onde a vida nos fez caminharmos juntas até a fase adulta, pela precisão com que comandava nossas brincadeiras de fundo de quintal, das casinhas embaixo de árvores, sentia sua determinação, valendo ressaltar a sua simplicidade peculiar em cativar todos que estão a sua volta e de forma espetacular, defendia nosso grupo.
Em 48 páginas, Ana fala da escola, dos amigos, dos vizinhos, das brincadeiras no quintal, do medo do poço, das lendas, dos contos, da comida, enfim, da sua São João Batista eternizada na memória. “É um livro de memórias, boas lembranças, para suscitar os sonhos, as viagens à infância ingênua. Mesmo com as dificuldades e com a falta de estrutura daquela cidade na época eu fui muito feliz, e não tenho dúvidas de que tantas outras crianças também. Com o passar do tempo estou dando cada vez mais valor a tudo que vivi na infância e pré-adolescência”, diz Ana. Influência Desde a infância Ana sempre sonhou em escrever estórias iguais a da avó que causavam emoção na plateia. As imagens são de autoria de Herbeth Figueiredo.
Folha de SJB

15 de jan de 2014

SUPERINTENDÊNCIA E FÓRUM DA JUVENTUDE ABREM INSCRIÇÕES PARA CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Começam hoje, 15 de janeiro, as inscrições gratuitas para o Curso de Capacitação de Esporte Educativo. O curso está sendo oferecido pelo Instituto de Formação de Jovens (Fórum da Juventude), via Superintendência Municipal de Juventude de São João Batista, com apoio da Prefeitura Municipal. O curso faz parte do projeto “Construindo Redes para outra Sociedade”, do Grupo de Educação Física, Esporte e Lazer (Grefel) do Fórum da Juventude.

De acordo com as informações passadas pelo Assessoria de Imprensa do órgão, a equipe de professores que comandarão as oficinas será formada pelos jovens Raimundo Nonato Pinheiro, Maximo Freitas, Paulo Sergio Serra, Alceu Pereira e Josef Figueiredo, formados em Educação Física pelo Instituto Formação, de São Luis, em parceria com a Universidade Federal do Maranhão de 2010 a 2011.

“Essa capacitação em esporte tem o intuito de legitimar os esportes como direito de todos, proporcionando uma formação integral dos alunos como sujeito de direito ao conhecimento didático e pedagógico dos mesmos de maneira prazerosa, segura e inclusiva”, disse o coordenador do Grefel em São João Batista e criador do projeto, Dunga Pinheiro.

O curso terá duração de três meses, de janeiro a março, e começará no final deste mês. As inscrições podem ser feitas a partir de amanhã e continuarão abertas até o próximo dia 20 deste mês no Fórum da Juventude de São João Batista, na Rua Vespaziano Ramos, 99, em frente a Praça da Matriz e ao lado da Igreja Católica. Mais informações podem ser adquiridas pelo telefone 3359 1362. Participe!!! 

13 de jan de 2014

ARRASTÃO DA PIRACEMA EM SÃO JOÃO BATISTA

Começou a pré-temporada carnavalesca em São João Batista. O Arrastão da Piracema começou ontem, 12 de janeiro, e arrastou milhares de foliões na sua primeira apresentação.
Organizada pelo empresário Willame Barros, a Piracema comemora 10 anos de tradição de Carnaval em São João Batista e já se tornou a maior e melhor na Baixada Maranhense.
A concentração começou por volta das 16 horas na Praça de Eventos, mas foi a partir das 18 que começou para valer a animação. Antes do arrastão, o empresário Willame Barros falou à população.
"Estamos iniciando mais uma temporada no pré-carnaval na cidade de São João Batista e este ano com um diferencial, a nossa Piracema está completando 10 anos. Vamos ter várias atrações em todas as apresentações e vamos, mais uma vez, contar com apoio de todos", disse.
Após as palavras do organizador e animados pela Banda Impacto, os foliões saíram atrás do trio do bloco e foi até a Praça do Viva, arrastando milhares de pessoas pela Avenida Getúlio Vargas. Como sempre, os foliões fizeram o mesmo trajeto e voltaram para a Praça de Eventos, onde a Banda Digital, de São Luis, já estavam os aguardando.
Mesmo com a intensa chuva, os foliões lotaram a praça e fizeram a festa até às 12 horas. “ Gostaríamos de agradecer a todos vocês que fazem o Bloco Piracema e já avisamos, todos os domingos teremos atrações como esta de hoje”, garantiu o empresário e organizador do bloco, Willlame Barros. Além do pré-carnaval, a Piracema terá apresentação garantida no sábado e na terça-feira de Carnaval.
Ha 10 anos, o Bloco Piracema vem realizando os pré-carnavais e carnavais de São João Batista. Com o diferencial de democratizar o carnaval de rua, não adotando a fórmula do “entra quem paga”, o bloco segue a lógica de pôr lado a lado ricos e pobres, oferecendo ao povo carente a oportunidade de brincar de igual para igual e criando um espaço onde ninguém é diferente.
O Bloco Piracema faz a festa com o Trio Piracema, arrastando milhares de foliões joaninos e de cidades vizinhas. Sem falar, é claro, no resgate das raízes momescas com banda de sopro e muita maisena. É importante ressaltar:tudo isso é uma iniciativa independente, sem apoio do poder público.
O Grupo Folclórico e Cultural de São João Batista não somente cria como também apoia as manifestações já existentes no município. Essa prática é notada no financiamento do CD e DVD do tambor de crioula de Maria de Beca e Teodora, gravados na Choperia Marcelo, durante o Encontro dos Filhos e Amigos de São João Batista, no ano passado.
No carnaval, o Arrastão da Piracema sai todos os domingos com a concentração a partir das três horas da tarde na Praça de Eventos. Milhares de foliões seguiram o Arrastão da Piracema durante o pré-carnaval de São João Batista. Gente de outros municípios como Olinda Nova, São Vicente Férrer, Cajapió e São Bento participaram do arrastão que há 10 anos está sendo organizado pelo Willame Barros.



Folha de SJB

11 de jan de 2014

FESTA DO DIVINO ESPÍRITO SANTO EM SÃO JOÃO BATISTA


Uma tradição vem se mantendo forte na cidade de São João Batista. A Festa do Divino Espírito Santo ainda é fortemente comemorada na cidade. Hoje, 11 de janeiro, uma procissão saiu pelas ruas da cidade. Organizado por Maciel e Dona Maria da Rua Nova, a festa atraiu bastante gente.
Procissão do Divino Espírito Santo / Foto: Erllem Pinto
Além disso, todas as noites são rezadas as famosas ladainhas desde o dia 28 e a comemoração só termina amanhã. A festa do Divino Espírito Santo no Maranhão é um dos muitos festejos que fazem parte da cultura popular do Maranhão, destacando-se como um dos mais importantes, por sua ampla difusão e pelo impacto que tem sobre a população. Hoje, existem dezenas de festas do Divino espalhadas por todo o Estado, levando adiante uma tradição viva e dinâmica, em que se destaca a beleza do repertório musical.
Toda a festa do Divino gira em torno de um grupo de crianças, chamado império ou reinado. Essas crianças são vestidas com trajes de nobres e tratadas como tais durante os dias da festa, com todas as regalias. O império se estrutura de acordo com uma hierarquia no topo da qual estão o imperador e a imperatriz (ou rei e rainha), abaixo do qual ficam o mordomo-régio e amordoma-régia, que por sua vez estão acima do mordomo-mor e da mordoma-mor.
A cada ano, ao final da festa, imperador e imperatriz repassam seus cargos aos mordomos que os ocuparão no ano seguinte, recomeçando o ciclo. A festa se desenrola em um salão chamado tribuna, que representa um palácio real e é especialmente decorado para este fim. A abertura e o fechamento desse espaço marcam o começo e o fim do ciclo da festa, durante o qual se desenrolam as diversas etapas que, em conjunto, constituem um ritual extremamente complexo, que pode durar até quinze dias: abertura da tribuna, busca e levantamento do mastro, visita dos impérios, missa e cerimônia dos impérios, derrubamento do mastro, repasse das posses reais, fechamento da tribuna e carimbó de caixeiras.
Entre os elementos mais importantes da festa do Divino estão as caixeiras, senhoras devotas que cantam e tocam caixa acompanhando todas as etapas da cerimônia. As caixeiras de São Luís são em geral mulheres negras, com mais de cinqüenta anos, que moram em bairros periféricos da cidade. É sua responsabilidade não só conhecer perfeitamente todos os detalhes do ritual e do repertório musical da festa, que é vasto e variado, mas também possuir o dom do improviso para poder responder a qualquer situação imprevista. As caixeiras do Divino são portadoras de uma rica tradição que se expressa nas cantigas que pontuam cada uma das etapas da festa.

Folha de SJB

10 de jan de 2014

REUNIÃO ENTRE PREFEITURA, SINDPROF E CONSELHO DO FUNDEB DISCUTE PROVÁVEL RATEIO

Como anunciado, o prefeito Amarildo Pinheiro acaba de se reunir com representantes do Sindicato dos Professores de São João Batista e representantes do Conselho Municipal do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Estavam presentes os professores Israel Melônio, Marcos Roberto e Luis Fernando, do SindProf, além da presidente do Conselho Municipal do Fundeb, professora Raquel dos Anjos.
O encontro foi realizado na sede da prefeitura e  na oportunidade foram discutidos temas relevantes do setor educacional do município de São João Batista, abordando retrospecto das ações administrativas do Poder Executivo do ano de 2013, de forma democrática, transparente e cordial com os membros da categoria. O ponto alto desta reunião foi a discussão sobre os índices aplicados pela política salarial do FUNDEB 2013.
O presidente do sindicato solicitou ao prefeito um relatório para, numa segunda reunião avaliativa, estabelecer valores que possivelmente poderá servir de subsídio para o provável rateio das sobras remetidas pelo FUNDEB 60 para a política de complementação dos efetivados da categoria. O prefeito, na oportunidade, disse que aguardará relatório final da sua equipe de contabilidade e prometeu nos próximos 10 dias já estar de posse de toda a prestação de contas dos repasses do FUNDEB aos professores e definir de fato e de direito a iniciativa de dar transparência ao objeto deste encontro.
Em conversa com o Portal Folha de SJB, o presidente do SindProf, Israel Melônio, disse que saiu do encontro satisfeito e que espera que após o relatório final da equipe econômica do governo, os professores tenham um boa notícia e se mostrou confiante em relação ao possível rateio aos professores de São João Batista. “A diretoria do SindProf saiu satisfeita da reunião e esperamos que na próxima já temos boas notícias para os professores”, disse.

8 de jan de 2014

ESTUDANTE DE SÃO JOÃO BATISTA FECHA REDAÇÃO DO ENEM COM 920 PONTOS


Estudante Natália Vaz
Uma estudante de São João Batista pode está entre uma das melhores colocadas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no Maranhão. Natália Vaz quase fecha a Redação do exame realizado no ano passado, obtendo 920 pontos só na Redação, que tinha como tema a Lei Seca no Brasil.
De acordo com as informações obtidas pelo Portal Folha de SJB, a jovem Natália Vaz estuda no Centro de Ensino ‘Acrísio Figueiredo’ e cursa o último ano do Ensino Médio em São João Batista. A jovem estudou sempre em escolas públicas e está sendo destaque na cidade por quase fechar a Redação no Enem 2013.
“O fantástico de ser professor é poder se alegrar e se orgulhar com as conquistas dos nossos alunos.Estou super radiante com as boas notícias referentes às pontuações dos alunos no Exame Nacional do Ensino Médio(ENEM).Como não se orgulhar de uma aluna(Natalia Vaz) que conquistou 920 pontos na redação?”, disse a professora Clédina Fonseca.
Para a diretora da escola, professora Ana Lúcia Moreno, Natália Vaz é um orgulho para todos. “Realmente também fico imensamente feliz, pois Natalia Vaz sempre foi uma excelente aluna no Ateniense uma das mais aplicadas, e como diretora fico mais feliz ainda em saber que o Acrísio Figueiredo é referência em qualidade. Parabéns Natália você merece”, disse a diretora da escola em que a jovem estuda.
“Ela desponta triunfalmente entre as melhores pontuadoras do processo, para orgulho do povo joanino e estelar brilho de nossa educação, tão sofrida pelos massacrantes descasos de sua condução por parte do sistema”, apontou o professor Marcondes Serra. ”Isso prova que com todas os entraves enfrentados na educação pública, se o aluno se esforçar,tiver objetivos e dedicar-se aos estudos, ele consegue ter êxito na vida”, terminou a professora Clédina.
Além de Natália, outros jovens da nossa cidade também obtiveram boons resultados no Exame Nacional de Ensino Médio, que foi divulgado no último dia 03 de janeiro. O Portal Folha de São João Batista tentou entrar em contato com a jovem, mas não conseguiu. Parabéns Natália Vaz.

6 de jan de 2014

CRIME AMBIENTAL EM SÃO JOÃO BATISTA: PALMEIRAS ESTÃO SENDO CORTADAS

Um gravíssimo crime ambiental está sendo realizado em São João Batista a luz das autoridades e do Ministério Público. As Palmeiras de Coco Babaçu estão sendo cortadas diariamente e ninguém faz absolutamente nada para conter os criminosos. De acordo com o Projeto de Lei 231/2007, de deputado Domingos Dutra, a pessoa que for pega cortando palmeiras estará sujeito a sanções civis e administrativas, além das penalidades previstas na Lei de Crimes Ambientais (9.605/98).
Por essa lei, quem cortar ou transformar madeira de lei em carvão será punido com reclusão de um a dois anos, já quem comprar madeira ou carvão sem exigir a licença do vendedor será punido com detenção de seis meses a um ano. O projeto destina o dinheiro arrecadado com as multas à recuperação de áreas degradadas e a políticas de fomento ao extrativismo de babaçu. Além disso, permite a desapropriação das terras dos infratores.
Mais o que se ver em São João Batista é totalmente o contrário. Fazendeiros simplesmente estão derrubando as palmeiras e ninguem faz nada para coibir estes crimes. A foto, registrada pelo Portal Folha de SJB, mostra uma pequena localidade num dos povoados da cidade, que foi devastada e derrubadas quase todas as palmeiras. A propriedade fica de frente com a estrada onde autoridades municipais e da justiça passam.
MAIS INFORMAÇÕES
O texto também permite o desbaste dos babaçuais em propriedades onde se desenvolvam atividades agropecuárias, mas determina que sejam sacrificadas, prioritariamente, as palmeiras improdutivas e sem o uso de herbicidas no processo de derrubada. O desbaste ainda será permitido quando as palmeiras estiverem localizadas em imóvel de até um módulo rural cultivado em regime de agricultura familiar, respeitando o espaçamento mínimo de oito metros entre cada palmeira restante. O projeto também estabelece como áreas de usufruto comunitário das populações extrativistas as matas naturais de palmeiras de babaçu existentes nos estados do Maranhão, Piauí, Pará, Tocantins e Goiás e cultivados em regime de agricultura familiar.
O infrator estará sujeito a sanções civis e administrativas, além das penalidades previstas na Lei de Crimes Ambientais (9.605/98). Por essa lei, quem cortar ou transformar madeira de lei em carvão será punido com reclusão de um a dois anos, já quem comprar madeira ou carvão sem exigir a licença do vendedor será punido com detenção de seis meses a um ano.  O projeto destina o dinheiro arrecadado com as multas à recuperação de áreas degradadas e a políticas de fomento ao extrativismo de babaçu. Além disso, permite a desapropriação das terras dos infratores.
Domingos Dutra destaca que a palmeira de babaçu tem muitas utilidades. “A palha é utilizada na cobertura de casas, o talo, na confecção de cercas. A amêndoa é o principal produto de sustentação da economia familiar ao produzir leite, óleo, sabão, xampu, doces, farinha”, enumera. No entanto, nas últimas décadas, o babaçu deixou de ser uma atividade atrativa, lamenta o parlamentar, o que levou o Estado a se omitir na formulação de políticas públicas para o setor.  O deputado lembra que a devastação de extensas áreas cobertas por babaçuais provoca êxodo rural e desequilíbrio ecológico e acrescenta que o incentivo ao plantio de babaçu pode ser uma alternativa ao desemprego e servir para a produção de biocombustível.
Folha de SJ

ADIADO PRIMEIRO ‘ARRASTÃO DA PIRACEMA’ DO ANO

O empresário Willame Barros informou ao Portal Folha de SJB que o primeiro Arrastão da Piracema do ano foi adiado. O empresário disse que por conta da morte da mãe do juiz Eulálio Figueiredo, dona Gilda Figueiredo, a Piracema foi adiada para o próximo domingo, dia 12 de janeiro.
Willame Barros disse que por conta do sentimento e consideração que tem pela família que tem suas raízes aqui em São João Batista, resolveu adiar o primeiro Arrastão da Piracema de 2014, ficando já confirmada a saída do bloco no próximo domingo. Hoje, dia 05, seria a primeira apresentação do bloco.
O Arrastão da Piracema completa este ano 10 anos de existência e faz o melhor pré-carnaval da Baixada Maranhense. O organizador disse que este ano vem com novidades e novas atrações. “O povo de São João Batista pode esperar que no próximo domingo a Piracema vai sair”, terminou.
Folha de SJB

5 de jan de 2014

CIDADES DIGITAIS VAI OFERECER 10 CURSOS PARA JOVENS DE SÃO JOÃO BATISTA


A Prefeitura Municipal de São João Batista acaba de receber um oficio da Secretaria de Inclusão Digital do Ministério das Comunicações exigindo um termo de compromisso Prontac-MC, para dar inicio aos primeiros passos à Formulação do Convênio Cidades Digitais – PAC 2 para preenchimento dos requisitos aos cursos de formação inicial continuada do Pronatec Comunicações 2014. O projeto integra o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego no município de São João Batista.
Amarildo entrega relatório ao Ministério das Comunicações
O município, através da Prefeitura Municipal, terá que se habilitar a vários requisitos pra esse celebração de convênio. Segundo o prefeito Amarildo Pinheiro, todas as providencias já estão sendo tomadas neste sentido, pois jamais perderá a oportunidade depois de tanto trabalho em formatação deste projeto, deixar de beneficiar os jovens joaninos, na capacitação em mão de obras, de centenas de futuros profissionais da era digital, em que o município será contemplado com dez cursos profissionalizantes, custeados com bolsas do Pronatec.
Ainda de acordo com o gestor, esta etapa possibilitará a preparação destes jovens e adultos ao mercado de trabalho, após preencher alguns requisitos exigidos pelo Programa Cidades Digitais, pra melhor gerenciar este grande convênio assinado pelo prefeito em novembro 2013, em Brasilia. São João Batista está fazendo parte de um seleto grupo de cidades do Brasil e aqui no Maranhão apenas 26 foram aprovadas por seus projetos e, assim sendo, vai dispor de ferramentas tecnológicas em fibra ótica a todos munícipes da zona metropolitana e possivelmente rural ainda esse semestre segundo previsão do Ministério das Comunicações .
“São João Batista entrará efetivamente na era digital de primeira linha, com internet Banda Larga Digital alimentada por fibras óticas que a distinguirá como poucas no Brasil nos próximos anos, pela rapidez do acesso e melhor do que isso: totalmente gratuita “, comemorou o prefeito Amarildo Pinheiro.
10 CURSOS PARA JOVENS
Cursos oferecidos aos bolsistas serão:
1- ADMINISTRADOR DE BANCOS DE DADOS
2-CABISTA DE SISTEMA DE TELECOMUNICAÇOES
3-DESENHISTA DE PRODUTOS GRÁFICOS WEB
4-INSTALADOR E REPARADOR DE REDES DE COMP.
5-MONTADOR E REPARADOR DE COMPUTADORES
6-OPERADOR DE COMP.
7-PROGRAMADOR DE SISTEMA
8-PROGRAMADOR DE WEB
9-MONTADOR E REPARADOR PERIFERICO
10-PROGRAMADOR DE DISPOSITIVO MOVEIS

2 de jan de 2014

PESCADORES DE SÃO JOÃO BATISTA AINDA ESPERAM RESPOSTA DE BRÁSILIA

Os pescadores de São João Batista esperam ansiosamente uma resposta da Coordenação Nacional do Seguro-Desemprego em Brasília. No final de 2013, o benefício teve sua recepção suspensa pela Superintendência Regional do Trabalho no Maranhão por supostas irregularidades.
No final de dezembro os representantes da superintendência, Julião Amim e Ricardo Gonçalves, vieram conversar com os pescadores de São João Batista e confirmaram a suspensão. Uma reunião foi realizada na Colônia de Pescadores para esclarecer as dúvidas e o chefe do Seguro-Defeso, Ricardo Gonçalves, disse que até empresário está recebendo o benefício.
Com isso, a Superintendência Regional do Trabalho enviou ofícios para a coordenação nacional e aguardam a decisão para liberação da recepção. A expectativa é que até o dia 5 de janeiro a situação já esteja resolvida e os associados da Colônia de Pescadores e Sindicato dos Pescadores recebam o Seguro-Defeso.
O QUE É O SEGURO-DESEMPREGO
Os pescadores que ficam proibidos de trabalhar nos períodos de reprodução dos peixes, o chamado defeso, recebem seguro desemprego e a quantidade de parcelas é determinada pelo tempo de suspensão da pesca. De janeiro a 4 de julho deste ano, mais de 138 mil trabalhadores já receberam o benefício em todo o país. O estado do Pará apresenta maior participação, com 40 mil beneficiados; seguido pelo Amazonas, com 16 mil; Rio Grande do Norte, com 11 mil; e Maranhão, 10 mil trabalhadores atendidos.

O seguro-desemprego pode ser requerido 30 dias antes do início do defeso e deve ser solicitado até o fim da proibição. O trabalhador deve se dirigir às Delegacias Regional do Trabalho (DRTs), ao Sistema Nacional de Emprego (SINE) ou às entidades credenciadas pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e preencher o formulário de requerimento do seguro desemprego do pescador artesanal. Após 30 dias, a primeira parcela estará disponível nas agências da Caixa, nas Casas Lotéricas ou nas unidades da Caixa Aqui. Para o saque é necessário apresentar a carteira de identidade e o número de inscrição como Segurado Especial.

O que é - o defeso é um intervalo de tempo em que o pescador artesanal fica proibido de pescar para garantir a reprodução das espécies. O profissional recebe, no período em que fica sem trabalhar, as parcelas do seguro-desemprego, no valor de um salário mínimo. A Resolução nº 468, de 21 de dezembro de 2005, do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), estabeleceu os procedimentos para a concessão do seguro-desemprego ao pescador que exerça sua atividade de forma artesanal, individualmente ou em regime de economia familiar, conforme calendário instituído pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Para ter acesso às parcelas do seguro desemprego, concedidas a cada 30 dias, o pescador deve comprovar que está inscrito na Secretária Especial de Aqüicultura e Pesca há pelo menos um ano, apresentar o atestado da colônia de pescadores artesanais confirmando o exercício da atividade, carteira de identidade ou de trabalho, comprovante de pagamento das contribuições previdenciárias e do número de inscrição como Segurado Especial. O seguro desemprego é pago com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).
Folha de SJB

1 de jan de 2014

CIDADE RECEBEU QUASE 30 MILHÕES EM 2013

A cidade de São João Batista recebeu quase 30 milhões de reais do Governo Federal. Foram repassadas a cidade 28 milhões e 900 mil reais durante todos os 12 meses do ano que se passou. Os dados fazem parte de um levantamento do Portal Folha de SJB, com base nas informações disponíveis nos sites do Portal da Transparência e Tesouro Nacional.
Destes 28 milhões, o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) se destaca. Só em 2013, a cidade recebeu 13 milhões e 900 mil do Governo Federal, enquanto para o Fundo de Participação do Município (FPM), foram destinados um pouco mais de 8 milhões.
Destes repasses se destacam ainda o Programa Bolsa Família e Programas Sociais, mantidos via Secretaria Municipal de Assistência Social, que levou boa parte deste dinheiro, e logo em seguida a área da Saúde. No final, levando em consideração todos os repasses, São João Batista recebeu 28.906.551,31 reais.
Folha de SJB