18 de dez de 2015

JOVENS DE SÃO JOÃO BATISTA SE APRESENTAM EM BRASÍLIA, VEJAM VÍDEO

No segundo dia da 3ª Conferência Nacional de Juventude, a mostra cultural Manifesta mostrou o potencial criativo da juventude do nosso país. O Sarau Afrobase, núcleo de educação e cultura afro-brasileira localizado no bairro do Rio Pequeno, periferia da zona oeste de São Paulo, marcou presença no Espaço Vivências. Trata-se de uma atividade de expressão artística que utiliza as linguagens da poesia, música, dança e outras manifestações de natureza política e social.
Do Gélido Silêncio Sem Cor foi outra atração desta quinta-feira (17). No palco principal, a coreografia performática propôs uma reflexão sobre o poder da imagem, dos usos e abusos de sua capacidade de transmitir mensagens veiculadas pela mídia. A proposta foi convergir dança e performance para criar um cenário de metáforas e subjetivações sobre o que é estar no mundo e sentir-se arrastado pelo curso das multidões, consumido pelo sistema sócio- político-econômico-cultural vigente, e imerso em uma virtualidade de onde se faz necessário escapar.
Jovens da Companhia de Teatro de São João Batista, “Artes e Raízes”, apresentaram a peça “Batuque – Auscultando a Juventude Negra”. Dez jovens representantes do Maranhão exploraram o tema a cultura negra, com recorte para a capoeira, dança e a cultura de povos de matriz africana, a partir de uma pesquisa realizada pelo Fórum da Juventude, Instituto Baixada e Instituto Formação.
“A pesquisa passou pela história da capoeira, da arte, da cultura e da religiosidade dos negros do município e resultou num roteiro de três quadros de cena. O primeiro destaca a prática da capoeira. O segundo, desmistifica os preconceitos e estereótipos existentes em relação às pessoas que praticam as religiões afro-brasileiras. Já o terceiro quadro finaliza o espetáculo por meio da valorização da religiosidade dos afrodescendentes da cidade”, disse o coordenador geral do fórum da juventude de SJB-MA, Jailson Mendes, de 24 anos.
De Santa Catarina, o grupo Soul Dance abordou,  através das danças urbanas, a temática nordestina no espetáculo “Retirantes”. O objetivo foi quebrar com o preconceito que a região Sul muitas vezes tem com os nordestinos. Por meio do rap nacional e da MPB, o coletivo propôs despertar o orgulho de ser brasileiro. “Há pessoas que agregam ao Sul o progresso do país ou que lutam para que o Sul se torne um país, no entanto, pensamos que o Brasil é o que é devido à sua pluralidade cultural, esse etnocentrismo só destrói nossa unidade enquanto nação. Somos um grupo do Sul que fala sobre o Nordeste”, explicou o integrante do grupo, João Gabriel da Rosa, de 26 anos.
Além desses muitos grupos ainda se apresentarão na Conferência. A programação completa está na home do portal da juventude. Além dos 10 jovens da peça, Fernando Santos, Talício Silva, Dielson Santos, Denilson Pereira, Vailson Carlos, Luzidalva Martins, Jéssica Santos, Hyldilene Santos, Tássia Fernanda e Liziane Santos, estão na conferência representando a cidade de São João Batista os jovens Jailson Mendes e Denis Abreu, que são delegados da conferência. Mais fotos nas nossas redes sociais.. Informações no site da Secretaria Nacional de Juventude.
Folha de SJB
O que você achou?

0 COMENTÁRIO:

Postar um comentário