13 de jan de 2010

HISTÓRIA DO CARNAVAL EM SÃO JOÃO BATISTA

O carnaval em São João Batista é um dos melhores da Baixada Maranhense. Com um povo hospitaleiro e alegre, as belezas naturais agradam quem chega. Em uma postagem no seu, o ex secretário de educação da cidade, João Batista Azevedo fala do carnaval na cidade. Veja a postagem:
"Antes podíamos perceber que as pessoas se preparavam para o período carnavalesco. Os matinais no clubes carnavalescos tinham a missão de garantir a alegria das crianças e dos mais jovens. Os desfiles das Escolas de Samba, organizadas por funcionários públicos, trabalhadores autônomos, enchiam as ruas de alegria nas tardes dos domingos e terças-feiras de carnaval. Estes desfiles, cada vez mais concorridos, com batucadas cadenciadas, atraiam multidões de todos os povoados que se aglomeravam ao longo do extenso trajeto do desfile. 
A Turma de Mangueira do saudoso Edinho Serra, de Mequinho, de Aderson, de Brás e tantos outros; a Turma do Quinto de Mariano, de Zé Batata, de Procopinho; o Coração do Samba que reunia todos da Rua Nova e o ainda resistente Salgueiro do Samba de Bigurrilho e demais moradores da Beirada eram as estrelas da passarela daqueles tempos memoráveis.
À noite, era a vez dos bailes de salão. O baile das famílias, do  banho de talco cheiroso, do whiski, do lança-perfume verdadeiro, das marchinhas ( olha a cabeleira do Zezé, será que ele é? será que ele é?; ô jardineira por que estás tão triste?, e outras tantas). Como se vê todos brincavam. Experimentava-se uma paz, pois só era permitido transgredir de alegria e exagerar só na fantasia.
Atualmente, alguns poucos resistentes ainda fazem este tipo de carnaval. Mas não há mais os bailes de clube, as crianças não têm mais seus matinais. Tudo agora é uma festa só. Todos juntos. Velhos e novos, foliões e expectadores se misturam num verdadeiro “empurra-empurra”. Os salões cederam vez para as praças e não necessariamente se precisa de fantasia. Só se precisa de disposição, energia e muita, mas muita alegria.
Como numa verdadeira “piracema”, cujos peixes buscam a renovação de suas vidas nas vidas postas, o carnaval vai se transformando no universo de cada um.Mas como diria o poeta português Fernando Pessoa: “tudo vale  a pena, se a alma não é pequena”. Que sobrevivam os carnavais de ontem, que vivam os carnavais de hoje."
Adaptado:www.jbazevedo.blogspot.com 




EQUIPE DE REDAÇÃO DA AGÊNCIA SJB



O que você achou?

1 COMENTÁRIO:

  1. tive o prazer de vivenciar os antigos carnavais de sjb;Edinho,adelson, mequinho e tantos outros da turma de mangueira;os bailes do Castelo Branco;o "salgeiro" de bigurrilho e tantas outras alegrias.tempos bons que não voltam mais...um grande abraço e parabéns pela iniciativa. carlos santos jacinto csjacinto@gmail.com

    ResponderExcluir