30 de mar de 2011

MINISTÉRIO PÚBLICO ENTRA COM AÇÃO CIVIL CONTRA O MUNICÍPIO DE SÃO JOÃO BATISTA

O Ministério Público do Maranhão entrou com uma ação civil pública contra a cidade de São João Batista. A informação foi divulgada no sítio do Ministério Público ontem. Segundo a assessoria do órgão, a ação foi motivada por ausência de licitação e habilitações vencidas dos motoristas.  Veja a matéria.
"Ausência de licitação e habilitações vencidas dos motoristas motivaram o Ministério Público do Maranhão a propor, no mês de janeiro, Ação Civil Pública contra o Município de São João Batista, com o objetivo de regularizar o oferecimento de serviço de transporte escolar na referida cidade.
Como medida liminar, o MP requer a suspensão de todos os contratos de prestação de serviços referentes ao transporte escolar no município.Também foi pedida a realização de licitação para a contratação de prestação de serviços de transporte escolar. 
Ajuizou a manifestação ministerial o promotor de Justiça Vicente Gildásio Leite Júnior, da Comarca de São João Batista . Redação: Eduardo Júlio (CCOM MPMA)" . Fonte: MP-MA
Em janeiro, o programa "RBC News", apresentado por Jailson Mendes, na rádio Beira Campo, apresentou dados do Ministério da Educação sobre envio de verbas do Governo Federal para compra de ônibus escolares para a cidade de São João Batista.
O fato foi confirmado pela Secretária de Educação, Cleana Santos Jacinto e pela assessora da secretaria, Silvinha Pinheiro. O montante enviado foi de 601 mil reais. Na época, a prefeita Surama Soares também nos informou sobre a compra dos ônibus. Nossa equipe entro em contato por e-mail para saber mais informações sobre o assunto.

EQUIPE DE REDAÇÃO DA AGÊNCIA SJB
O que você achou?

1 COMENTÁRIO:

  1. Será que o MP tem conhecimento do está acontecendo com a educação? Será que sabem de que forma eles estão tentando manter seu clientelismo político, através do falso voluntarismo de alguns pobres coitados, que infelizmente por falta de oportunidade de emprego no nosso município, se tornam vítimas dessa ilegalidade administrativa.
    Sem falar dos concursados, que a nobre prefeita, não me parece muito a fim de nomear.

    ResponderExcluir